Dicas para a tradução de patentes para o INPI do Brasil

2019-04-29T14:38:03+00:00 abril 29th, 2019|Patentes, Tips & Tricks, Tradução|

A tradução de patentes para Brasil é um processo complexo e fascinante: as patentes descrevem criações novedosas de uma alta especificidade técnica sob uma série de requerimentos de formulação estritos. Para quem não é experiente na matéria, a tradução de patentes pode ser um quebra-cabeça impossível de resolver.

Uma simples falha na tradução da patente pode levar à perda de proteção da sua criação, ou até a rejeição do pedido de patente por parte do órgão responsável, pelo qual é sempre recomendável trabalhar com pessoas experientes na matéria.

Dependendo do país e do órgão receptor do pedido de patente, os requerimentos mudam. As dicas que seguem abaixo estão baseadas nos requerimentos do Instituto Nacional da Propriedade Industrial para a proteção de invenções e modelos de utilidade no mercado brasileiro.

Dicas para a tradução de patentes para sua apresentação no INPI do Brasil:

Partes: Conferir que a estrutura da patente seja a correta. Os pedidos de patente devem conter um relatório descritivo, reivindicações, listagem de seqüências (para os pedidos de patentes de biotecnologia), desenhos (se for o caso) e um breve resumo da invenção ou modelo de utilidade.

Reivindicações: são a parte mais importante da patente, já que o seu conteúdo é o que irá determinar a extensão da proteção conferida pela patente, pelo que a exatidão e precisão da tradução das reivindicações é chave. Certifique-se de que a tradução seja clara e concisa e defina as características essenciais e particulares que se desejam proteger da invenção. As reivindicações devem estar numeradas consecutivamente e conter uma única expressão  “caracterizado por”.

Desenhos: caso houver desenhos, não esqueça de certificar que as referências numéricas de cada parte ou peça do desenho correspondam à descrição no relatório descritivo. Devem estar citadas entre parênteses.

Resumo: é a descrição do objeto do pedido de patente. Na tradução a extensão pode mudar, mas é importante lembrar que o INPI sugere que o resumo não deve ter mais de 25 linhas de texto e estar composto por entre cinquenta (50) e duzentas (200) palavras.

Especialidade: por último, é essencial que a tradução seja feita por um tradutor com experiência em traduções de patentes para a indústria específica, para garantir a qualidade da tradução e a sua conformidade com os requisitos do INPI.  

Está precisando traduzir uma patente para sua apresentação no INPI do Brasil? Não hesite em nos contatar para receber assistência gratuita e obter uma cotação.

 

Em breve postaremos tips para traduzir patentes para outros países! Inscreva-se a nosso newsletter e fique ligado às novidades.

Coneça os nossos serviços

PEÇA UMA COTAÇÃO!

Entre em contato!

Receba o nosso Newsletter